Descendo escadas

Há pouco caí nas escadas do prédio. De alguma forma, os meus pés desligaram-se, deixando-se ficar para trás, os meus joelhos iniciaram uma aproximação lenta do chão, aterrando sem pressa, enquanto o resto do meu corpo os seguia congelado numa espécie de posição fetal inerte.

Pergunto me como será a vida aos 60. Acho que vou ter andar envolta em bubble wrap.

Sonhos de crescida

O meu subconsciente aceitou a década dos 30 finalmente. Hoje, sonhei que estava com a minha best pal do trabalho a comer. Para sobremesa escolhíamos fruta e eu pedia canela para colocar por cima, porque acelera o metabolismo.

 

Aposto que para a semana sonho que estou a ler o jornal. Ou a passar a ferro. Ou a polir casquinhas.

 

Serenity now.  

Run for cover

Vejo-o ao espelho. Está lá, não há qualquer dúvida. Cabrãozinho a brilhar sob a luz, enquanto passo os dedos repetidamente tentando apanhá-lo, sem sucesso. De repente, deixa de estar lá. Viro e reviro todos os fios de cabelo, mas todos são escuros e finos, como habitualmente. Desapareceu e agora tenho de esperar por uma nova incursão ao espelho, de sobrolho levantado, óculos a escorregar pelo nariz, testa inclinada para a frente e mãos embrenhadas em busca do único (fingers crossed) B na sopa de letras que é a minha cabeça.

O que é isto de envelhecer? Não estou preparada para a materialidade deste conceito. Continuo a não saber o que fazer com a couve que jaz há demasiado tempo no meu frigorífico porque não sei o que se faz normalmente às couves. Estará a minha possibilidade de fazer birras e amuar porque sim automaticamente revogada? Passarei de imediato a ser tratada como "senhora" por todos os simpáticos do setor dos serviços? Onde está o memo a explicar todos os detalhes? Preciso de regras para subsistir, exijo uma explicação!

 

ch.jpg