Vade retro satana

E de súbito, o mundo inteiro está junto. Todos estão emparelhados, todos dividem rendas, todos procuram casas, todos fazem planos, todos pensam em nome para mini-eles, todos sonham em conjunto.
(Todos do meu mundo, claro.)

Mas mordam já essas línguas, que isto não tem um nico de inveja, ciúme ou rancor. É uma mera constatação. Mas é tal que, aliada ao meu upcoming aniversário, perdão, 26º aniversário - o dia que sempre imaginei vir a ser um de extrema excitação: 26 de julho, 26 anos (logo a seguir a conseguir fazer uma flexão, casar os anos foi desde sempre um sonho de vida meu), causa-me uma sensação samanthiana de shit motherfucker fuck shit! e faz-me querer gritar JÁÁÁÁÁÁÁ??????!!!!!

Quem disse que a vida são dois dias estava claramente inebriado, porque a vida é uma tarde, pá.

Fiquei parada nos 17 e sei que para sempre 17 anos terei. Meço o mesmo, peso o mesmo, gosto do mesmo, detesto o mesmo, temo o mesmo, anseio pelo mesmo. Sou a mesma. Só que agora ponho creme nos cantos dos olhos para prevenir o inevitável.

Fuck you tempo, 17 till i die.