Louvado seja quem teve a ideia de pôr câmaras fotográficas nos telemóveis

Andar de metro é sempre uma tragédia Os bancos já viram dias com menos pastilhas coladas, o ar nem sempre cheira a rosas, as pessoas nem sempre estão ao nível da elite model look... No entanto, por outro lado, existe a inesperada possibilidade de ver coisas absolutamente incríveis.

Este senhor, por exemplo, estava no seu assentozinho a cortar as unhas. Pois é. Tic, tic, tic nos meus ouvidos e as unhas a saltarem para o chão. Mais giro ainda era o facto de o corta-unhas estar preso ao porta-chaves do senhor. Este acontecimento só por si conseguiu iluminar a minha deprimente viagem. Viva a nossa posição no fundo da cadeia higiénica: viva!